Regulação da Saúde Pública: acesso ambulatorial.

A Central de Regulação Ambulatorial (CRA) é uma estrutura operacional de gestão pública que auxilia as equipes da atenção básica nas dificuldades enfrentadas, objetivando o acesso do usuário a procedimentos ambulatoriais de média e alta complexidade no âmbito do SUS. Para garantir o acesso do usuário SUS a um atendimento humanizado e ágil, ela deve ser fundamentada em protocolos, classificação de risco e demais critérios de priorização.


Para que essa gestão ocorra de modo eficaz, a peça chave dessa estrutura é o regulador, pois ele avalia o encaminhamento dos usuários e viabiliza o acesso de acordo com a necessidade real, tendo como base a classificação de risco.

Mas será que existe uma ferramenta que auxilia os reguladores?


A resposta é: claro! O sistema Olostech dispõe do ambiente de Autorização Procedimentos voltado aos Médicos Reguladores/Autorizadores. É através desse ambiente que os reguladores autorizam os procedimentos e priorizam os usuários por meio das condições importantes pré-cadastradas no sistema. Se forem necessários mais dados para que o regulador avalie melhor a situação, ele pode, através do sistema, encaminhar um pedido de informações ao profissional que havia solicitado o procedimento para seu paciente. Esse profissional, por sua vez, visualiza esse pedido na tela do consultório informatizado, agilizando o trabalho e permitindo o acesso à informação em tempo hábil para que o regulador faça os encaminhamentos necessários.

Para que o processo de regulação ocorra de forma eficiente, há uma série de etapas e todo um trabalho em conjunto dos demais profissionais de saúde.

Tudo começa com a comunicação com o usuário, pois uma boa comunicação facilita a captura de informações importantes. Por exemplo, se o usuário não puder comparecer em uma consulta ou exame na hora e data marcadas, pode ser que haja a necessidade de remarcar e, então, o ACS (Agente Comunitário de Saúde) entra em ação.

No sistema Olostech, além de realizar o cadastro de cada membro da família (incluindo formas de contato atualizadas) e condições referidas que são de suma importância para relatórios epidemiológicos e de planejamento das Equipes de ESF, o ACS realiza também o cadastro das informações do domicílio, realiza visitas periódicas e aproveita essas oportunidades para realizar a comunicação com o usuário: em vários dos nossos clientes, após o agendamento, é ele quem avisa o paciente sobre a data e horário da sua consulta.


Além das visitas, as ligações são ferramentas frequentes de comunicação com o usuário SUS. Geralmente realizadas pela recepção, nas unidades básicas de saúde, ou, por funcionários da central de regulação, através da CentrUS, dependendo do processo adotado pelo cliente. Para realizar a ligação, é importante que o número de telefone estejam atualizados e, para isso, o cadastro no sistema Olostech pode ser acessado e atualizado por qualquer profissional da rede, em praticamente todas as telas do sistema.

Mesmo assim, ocorrem situações em que o usuário falta no agendamento por esquecimento. Para evitar isso, o nosso aplicativo e-Cidadão Saúde envia um aviso para o usuário informando a data e hora do agendamento. E, essa estratégia, contribui muito para a diminuição do absenteísmo.


Além do absenteísmo, um dos maiores problemas enfrentados na saúde é a gestão das agendas dos profissionais de saúde (médicos, nutricionistas, psicólogos, etc) que, além do desafio da quantidade de vagas, envolve uma série de cuidados com relação aos perfis dos pacientes - se é criança, adulto, adolescente, gestante, etc. Todo esse cuidado é de responsabilidade da CRA que deve fornecer quais são os perfis ideais e realizar a gestão das agendas.


Visando isso, o sistema Olostech fornece as ferramentas necessárias para gerenciar agendas de acordo com cada perfil, bem como o controle de cotas, pois cabe ao administrador da CRA avaliar a oferta de cada procedimento ou consulta e determinar qual o percentual que será destinado aos agendamentos ordenados pelas unidades e controlar tudo pelo sistema.


Outro ponto do encaminhamento, é quando o usuário primeiramente precisa passar pela fila de espera antes de ser agendado. Essa fila de espera é organizada de acordo com as políticas do município e seus critérios podem ser configurados no sistema por meio de parâmetros de faixa etária, condições importantes e data de referência do encaminhamento (além do trabalho importantíssimo do médico regulador, citado anteriormente). O usuário de um município que utiliza o sistema Olostech, pode visualizar sua posição na lista de espera pública, disponibilizada no site da prefeitura do município.


São inúmeras as possibilidades em que uma única pessoa pode precisar utilizar o SUS, e, para a operacionalizar este acesso com agilidade e eficiência, a CRA viabiliza o processo de regulação do acesso a partir da atenção básica até a execução dos procedimentos regulados utilizando um software de gestão da saúde, como o sistema Olostech.


231 visualizações0 comentário