As prefeituras parceiras da Olostech ocupam posições de excelência em estudos que medem a qualidade do atendimento em saúde pública, com notas muito acima da média das demais prefeituras.


No Ranking de Competitividade dos Municípios 2021, organizado pelo Centro de Liderança Pública (CLP), por exemplo, o resultado é expressivo. Entre os 411 municípios analisados pelo estudo, estão seis que utilizam o sistema Olostech (Jaraguá do Sul, Balneário Camboriú, Piracicaba, São Bento do Sul, Praia Grande e Joinville). As médias nacionais para os indicadores “Acesso à Saúde” e “Qualidade da Saúde” são, respectivamente, de 60,73 e 73,97. Já os municípios atendidos pela Olostech têm notas médias de 72,02 e 83,02 para esses índices.


No indicador “Qualidade da Saúde” o município de Jaraguá do Sul aparece na terceira colocação geral. O estudo do CLP destaca que a prefeitura de Jaraguá do Sul tem o melhor resultado do país em um dos subitens que compõe o indicador, o de “mortalidade por causas diversas” e teve uma melhora expressiva no subitem “mortalidade na infância”, subindo 205 posições.


Já no indicador “Acesso à Saúde”, é a prefeitura de Joinville que aparece na segunda colocação geral. De acordo com o estudo, “o município apresenta ótimo resultado em cobertura vacinal (12ª colocação), bem como melhoria significativa em cobertura de atenção básica (subiu 35 posições e ocupa a 87ª colocação) e atendimento pré-natal (subiu 32 posições e ocupa a 108ª colocação)”.


Em outro estudo, o “Desafios da Gestão Municipal (DGM)”, elaborado pela consultoria Macroplan, são analisados os 100 municípios brasileiros com maior população. Entre eles aparecem Joinville e Piracicaba. Ambos estão bem acima da média das 100 maiores cidades no quesito Saúde do estudo. Piracicaba aparece na 22.º posição e Joinville na 5.º no ranking.


“Todo nosso trabalho é para garantir soluções para o atendimento em saúde das prefeituras. Garantir esse atendimento é garantir um bom atendimento ao cidadão”, explica Alfredo Roeder Junior, diretor e sócio fundador da Olostech.


Fontes:

https://omunicipiojoinville.com/joinville-fica-em-segundo-lugar-no-indicador-de-acesso-saude-da-olostech/

https://municipios.rankingdecompetitividade.org.br/

https://www.desafiosdosmunicipios.com.br/ranking_inicio.php

Texto originalmente publicado na edição impressa do jornal Diário Indústria & Comércio, na coluna de opinião da seção "Diário Político Paraná" em 27 de abril de 2022.


Tecnologia aliada a metodologias permitem humanizar serviços da saúde, possibilitar a redução de custos e trazer eficiência ao atendimento no serviço público.

O elevado índice de faltosos dos usuários do SUS a compromissos agendados é um verdadeiro pesadelo para o gestor de saúde. A falta de um paciente a um exame ou consulta prejudica o sistema naturalmente já sobrecarregado. A falta do paciente tira a oportunidade de outra pessoa ser atendida e também acarreta prejuízo financeiro, ociosidade e frustração para os pacientes, profissionais de saúde e agentes públicos.


Não é fácil reduzir o absenteísmo por uma série de razões. Descobrimos que há diversos motivos pelos quais os pacientes faltam: a imposição de datas, sem o oferecimento de datas alternativas, a vergonha de negar um horário inicialmente sugerido e o simples esquecimento.


Diferentes indicadores mostram que, nacional- mente, o absenteísmo médio bate na casa dos 40% para exames e consultas especializadas. Estudos diversos mostram números um pouco acima ou um pouco abaixo desse percentual: 46% no ABC Paulista, 38% no Espírito Santo, 38% em Pernambuco. Em Santa Catarina, números de 2019 da própria Secretaria de Saúde estimavam em 30% a taxa média de absenteísmo.


A longa experiência e dedicação exclusiva da Olostech permitiu construir metodologias e soluções, em parceria com os municípios, que possibilitaram aos nossos clientes chegarem a percentuais quatro vezes menores que a média nacional. Em Jaraguá do Sul e São Bento do Sul, a taxa de absenteísmo para consultas especializadas chegou a 10,5% e 9,69%, respectivamente, mesmo considerando os percalços decorrentes da pandemia.


Aliado a uma metodologia que prevê a negociação com o paciente para a melhor data e profissional, nosso sistema disponibiliza uma central de relacionamento com os usuários SUS, o uso de aplicativos no celular que faz lembretes periódicos sobre a data marcada e um processo humanizado de negociação com o cidadão, reforço de aviso via mensagens SMS. Além disso, os profissionais são informados de algum compromisso do paciente (ou de algum familiar seu), em todas as interações de atendimento, como recepção para atendimento, dispensa de medicamento ou registros da visita domiciliar pelo agente comunitário.


Como base do processo, a metodologia incentiva o compartilhamento da responsabilidade e coloca o paciente como ator ativo do processo. Desse modo, se não houver confirmação prévia da consulta ou cancelamento com antecedência, o cidadão cede seu lugar na fila a outro usuário.


É importante destacar que a Olostech fornece as ferramentas necessárias, mas são os municípios, pelo compromisso dos gestores e esforço dos seus profissionais, que investem nesse desafio, e tornam possível alcançar esses indicadores. Nossa parceria com os municípios começou há 30 anos, quando fomos pioneiros na produção de softwares no país e fomos chamados para atender a área de saúde da prefeitura de Jaraguá do Sul. Fomos pioneiros no fornecimento de um programa 100% hospedado na nuvem.


Temos hoje um sistema robusto, capaz de atender às mais variadas demandas e que se adequa às particularidades de cada município. Os excelentes indica- dores de Jaraguá do Sul e São Bento do Sul mostram que é possível, com tecnologia e parceria, melhorar significativamente a qualidade dos serviços de saúde ofertados à população.


Assim que a pandemia da Covid-19 começou, tivemos de adaptar rapidamente nossas ações para atender às necessidades que ela trouxe aos nossos clientes e ao nosso modelo de trabalho.


Já em março de 2020 nosso modelo de trabalho para o home office. O que era uma adaptação provisória se tornou uma tendência e, em 2021, começamos uma ampla reestruturação por aqui, oficializamos o remote first e hoje nosso time está espalhado no país todo.


Renovamos nossa identidade organizacional e, junto com ela, revisamos toda a estrutura de cargos, salários e carreiras. Criamos novos setores e novos cargos e estamos, pouco a pouco, reinventando mais uma vez nossa forma de nos organizar, trazendo metodologias ágeis, novas ferramentas e um novo jeito de pensar nosso dia a dia.


A Olostech começou em 1992 em uma garagem de caminhão. Software no Brasil, naquela época (tempo do software de caixinha e início da era da internet), era um trabalho quase que artesanal. No início dos anos 90, criamos um produto inovador, inovador demais para o contexto, mas não conseguimos emplacar no mercado. E essa experiência trouxe a coragem necessária para ousar fazer diferente.


Em 1998, a Olostech foi realmente uma pioneira em software para a saúde no Brasil e, nesses 24 anos exclusivamente dedicados a transformar a Saúde Pública nos municípios brasileiros, as parcerias com nossos clientes foram o pilar central para a criação de soluções com o intuito de facilitar cada vez mais o dia a dia dos profissionais de saúde e humanizar o atendimento ao usuário SUS.


Já se vão três décadas construindo sólidas parcerias com nossos clientes, colaboradores e fornecedores. Durante esta jornada, nos reinventamos muitas vezes, crescemos e buscamos manter, em cada pequena ação, nosso olhar voltado para a melhoria da saúde pública nos municípios onde atuamos.


A todos que fazem parte dessa história, nosso muito obrigado.