• Maria Luiza Raulino

Central de regulação informatizada: uma ferramenta poderosa para a gestão da saúde pública.





Sabemos que o SUS está presente no dia a dia de grande parte da população brasileira, sendo um dos maiores, mais complexos e mais abrangentes sistemas de saúde pública do mundo. Quando observamos a complexidade e abrangência do SUS e analisamos o panorama organizacional da saúde no Brasil, começamos a identificar os desafios práticos para se fazer cumprir os princípios de universalidade, integralidade e equidade no dia a dia da população. Há muito para ser organizado e muitos critérios a serem considerados, principalmente quando se fala em gestão.


O que é regulação?


No que diz respeito ao atendimento do cidadão para a prevenção, tratamento e reabilitação de doenças, a regulação das vagas disponíveis para consultas, exames, internações e demais procedimentos é uma importante ferramenta de gestão em saúde pública. A implantação de um sistema de regulação como estratégia de gestão em saúde pública tem como objetivo o gerenciamento do acesso às áreas hospitalar e ambulatorial, de forma a disponibilizar o atendimento às necessidades imediatas da população.


Um processo de regulação bem feito otimiza o atendimento e garante que o acesso às vagas seja justo, dando prioridade a quem precisa. Além disso, a regulação garante o controle da qualidade dos serviços, impedindo fraudes e estabelecendo padrões mínimos de atendimento.


O papel da Tecnologia da Informação na Regulação em Saúde Pública.


A tecnologia da informação é uma importante ferramenta para garantir o bom funcionamento de uma central de regulação. Na prática, um sistema de regulação monitora a disponibilidade de vagas em atendimento especializado e em leitos, e permite a parametrização dos critérios de distribuição dessas vagas, tornando mais ágil a marcação de consultas e exames.


A primeira ferramenta de T.I. necessária em um sistema de regulação é o Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP). Para que o médico regulador possa tomar decisões bem embasadas, ele precisa ter acesso a todo o histórico de saúde do paciente. Para isso, é fundamental que esse prontuário faça parte de um sistema integrado de gestão da informação da saúde pública.


No sistema Olostech, o prontuário eletrônico do paciente é organizado através do Consultório Informatizado e da Sala de Enfermagem Informatizada, onde os médicos, enfermeiros e demais profissionais de saúde, podem registrar todos os dados necessários ao acompanhamento da saúde do paciente, com todas as informações necessárias e o máximo de detalhes que possam auxiliar o médico regulador na tomada de decisão.


Para que a central de regulação funcione, o médico regulador precisa estar bem treinado para lidar com as informações fornecidas e, assim, conseguir agir da melhor forma na tomada de decisões estratégicas em relação à disponibilidade de vagas na rede. Além da capacitação do médico regulador, é imprescindível o treinamento das equipes das unidades de Saúde que estão diretamente envolvidas no processo de preenchimento dos dados que devem constar no software.


O sistema de regulação deve ir além do controle de leitos, consultas e exames, proporcionando ainda a gestão de convênios e contratos com prestadores de serviço, a regionalização da Saúde por meio de consórcios intermunicipais e a plena integração com os serviços de atendimento móvel de urgência, que são orientados e sabem exatamente para onde encaminhar cada caso. O sistema Olostech está presente em boa parte deste processo, organizando, controlando e fornecendo informações para tomada de decisão em praticamente todos estes pontos de atenção.


Tecnologia da Informação a serviço da saúde


Um bom sistema de regulação depende da qualidade e confiabilidade da informação que chega até ele, para tanto, ele precisa estar integrado a um bom software de gestão da saúde. O sistema de regulação da Olostech, permite o acesso aos dados necessários aos processos regulatórios, e abrange um conjunto de ferramentas para fazer o gerenciamento completo de todos aspectos envolvidos na regulação de procedimentos e de consultas especializadas.


Com ferramentas, métodos e processos bem estabelecidos, uma Central de Regulação é ferramenta poderosa para gerir a rede de Saúde Pública, promovendo a drástica redução dos índices de absenteísmo em consultas e procedimentos, o gerenciamento eficaz e a redução da Lista de Espera, além de permitir total controle dos recursos do município, otimizando o atendimento e garantindo a qualidade de vida dos cidadãos.



328 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo